Garantir o bem-estar dos seniores durante o calor deve ser uma prioridade

Saiba quais são as recomendações dos profissionais do Grupo ORPEA

O risco de insolação aumenta a partir dos 65 anos, pois a sensação de calor diminui com a idade por isso, com a chegada do calor, é fundamental estarmos atentos ao bem-estar dos mais velhos. Os profissionais do Grupo ORPEA têm um protocolo de ação para evitar problemas relacionados com o calor excessivo.

As residências do Grupo têm protocolos específicos para as ondas de calor, nos quais todos os profissionais estão envolvidos para identificarem os problemas que possam surgir e tomarem as medidas necessárias.

 Um protocolo que, de entre várias medidas, destacam-se a monitorização contínua da temperatura das instalações dos centros, o aumento da ingestão de líquidos e o desenvolvimento de atividades em áreas abrigadas. Para além de adaptarem os menus com alimentos frescos e leves, ricos em água e fibras como vegetais e verduras, frutas e cereais, nas residências ORPEA realizam-se ainda ateliês informativos para que os residentes saibam identificar uma insolação e os cuidados que devem ser tomados durante a época de verão.

 Os riscos também aumentam quando os seniores têm uma doença crónica, tomam medicamentos, estão com excesso de peso ou sofrem de alguma doença neuro degenerativa. Também os residentes acamados ficam mais vulneráveis a uma onda de calor e precisam de cuidados específicos, como resfriar a pele e garantir a hidratação adequada.

CUIDADOS ESSENCIAIS DURANTE O VERÃO:

Hidratação:
Com a idade, a quantidade de água corporal diminui e, portanto, o corpo fica mais suscetível à desidratação. Deve ter-se também em atenção que os seniores sentem menos sede, o que aumenta a necessidade de ingestão adequada de líquidos em momentos de calor intenso.
Os profissionais dos centros ORPEA incentivam os residentes a manter uma ingestão contínua e suficiente de líquidos, entre um litro e meio e dois litros por dia, mesmo que não tenham sede. Às vezes é necessário modificar a textura dos líquidos para que quem tenha problemas de disfagia (dificuldade para engolir) possa manter-se hidratado. Além disso, é preciso ter em atenção que alguns medicamentos modificam a sensação de sede e até a necessidade de beber mais ou menos líquidos;

 Saídas ao Exterior:

Durante os períodos de maior calor deve evitar-se sair a meio do dia e devem escolher-se roupas leves, claras, largas e respiráveis. Além disso, a atividade física deve ser realizada pela manhã ou ao pôr do sol e é aconselhável que o ritmo de exercícios nos dias mais quentes não seja muito alto. Nas saídas ao exterior deve usar-se um protetor solar adequado e acessórios que protejam do sol, como óculos ou chapéu;

 Alimentação:

Quanto à alimentação, recomenda-se adaptá-la ao verão com pratos mais leves e menos elaborados, pois nessa época são necessárias menos calorias, mas maior hidratação por isso os alimentos devem ser ricos em vitaminas, sais minerais, fibras e água.

 Prevenir e mitigar os efeitos negativos que o calor excessivo tem na saúde dos mais velhos é um dos objetivos dos profissionais dos centros ORPEA durante o período de verão.