Tempo Frio

Dicas para se proteger contra o frio

“Com a chegada do inverno, é crucial reforçar a proteção dos nossos seniores contra os principais agentes sazonais”, explica o Médico Coordenador das Residências ORPEA em Portugal, André Rodrigues

Neste momento a protecção civil alerta para chuva forte e vento nas próximas 48 horas. Há 13 distritos em aviso amarelo e estamos a duas semanas da chegada oficial do inverno. Segundo o Dr. André Rodrigues, médico coordenador das Residências Orpea, deve ser feito um esforço contínuo para reforçar a proteção dos seniores contra os principais agentes sazonais.
 
Vacinação: A linha de frente na Defesa
COVID-19 e Gripe Sazonal: Segundo o último relatório semanal da vacinação sazonal da Direção Geral da Saúde, este indica que na faixa etária acima dos 80 anos, a cobertura vacinal contra a gripe é superior a 66% e contra a COVID-19 ultrapassa os 55%. “Nas residências Orpea, esta cobertura já é superior a 85%”, refere o Dr. André Rodrigues. O reforço anual da vacina contra a COVID-19 foi adaptado para incluir as variantes mais atuais, sendo crucial para prevenir hospitalizações e mortalidade. Similarmente, a vacina contra a gripe foi atualizada para proporcionar a máxima proteção. Na população institucionalizada, foi administrada uma vacina quadrivalente de dose elevada que tem como objetivo conferir uma proteção adicional neste grupo.

Vírus Sincicial Respiratório (VSR): Embora frequentemente associado a infeções em crianças, afeta também a população idosa, tendo sido verificado um aumento da sua incidência no outono/inverno de 2022, pelo que se antevê semelhante cenário este ano.
 
Outras medidas de saúde e prevenção:
Para além da importância da vacinação, o Dr. André Rodrigues indica várias ações a ter em conta na proteção do sénior nesta época:
– Agasalhar-se bem tanto no exterior como em interiores frios;
– Hidratação: no inverno também necessitamos de líquidos mas não é tão apetecível por causa do frio. Recorrer a sopas, chás e bebidas quentes pode ser uma solução;
– Etiqueta respiratória e desinfecção das mãos: a higiene regular das mãos e a etiqueta respiratória são fundamentais para impedir a disseminação de infecções;
– Vigilância médica e de enfermagem: os mais velhos necessitam de uma vigilância clínica rigorosa e dirigida aos problemas clínicos de cada um;
– Evitar deslocações desnecessárias a serviços de urgência: todas estas medidas contribuem para minimizar visitas desnecessárias a hospitais, frequentemente mais sobrecarregados nesta época do ano;
– Outra medidas: não devemos esquecer outras medidas fundamentais tais como o exercício físico, as atividades cognitivas e lúdicas, que permitem que o sénior se mantenha ativo física e cognitivamente. Isto sempre acompanhado de uma dieta equilibrada e de uma hidratação adequada.
 
Cuidados Especiais para Indivíduos de Alto Risco:
O Dr. André Rodrigues destaca ainda a importância de intensificar os cuidados, sobretudo a vacinação, em pessoas de maior risco, como aqueles com insuficiência cardíaca, respiratória, diabetes e patologias oncológicas.