Experiência, conhecimento e amor: O melhor legado dos avós para os netos

No dia dos avós, que é comemorado dia 26 de julho, devemos lembrar que os avós desempenham um papel fundamental na unidade familiar. Nos últimos anos, eles contribuíram significativamente para a economia doméstica e constituem um elo, cuidam de outros membros e dão-lhes apoio emocional. Experiência, conhecimento e amor é o melhor legado dos avós para os netos.

Isto é expresso por um dos psicólogos das residências ORPEA, Adrián Sánchez: “Os avós foram, são e serão uma fonte de conhecimento a nível vivencial e experiencial e, portanto, um pilar de referência e sabedoria para as crianças, jovens e não tão jovens. Além disso, agora, os avós também são cuidadores, enquanto ambos os membros da figura parental trabalham. É claro que a sociedade e todos nós devemos muito aos idosos e aos nossos avós de uma forma particular”.

Por outro lado, esse papel que assumem dentro da família também é benéfico para eles. De facto, os especialistas afirmam que manter os laços familiares favorece a sua qualidade de vida e autoestima. Isto tem maior relevância no caso daqueles que estão em centros residenciais, quando os laços afetivos com os seus familiares permanecem fortes, eles têm uma melhor saúde física e psicológica. E, especificamente, “a relevância da figura dos netos é evidente”, insiste Adrián Sánchez.

Para reforçar estas relações emocionais dos residentes com os seus filhos e netos, os centros da ORPEA envolvem os familiares no cuidado com os idosos, através de programas, terapias e atividades que são organizadas para esse fim. “A incorporação da família no dia-a-dia do residente favorece que ele se adapte melhor e se sinta em casa”, diz o psicólogo da ORPEA.

Além disso, para fortalecer esse vínculo, em todas as residências ORPEA, os idosos podem receber visitantes a qualquer hora do dia. Essa flexibilidade de tempo favorece o aumento das visitas, o que tem um impacto favorável na melhoria do estado emocional, tanto dos idosos como dos seus familiares.

Nessa mesma linha, os centros ORPEA possuem salas de jantar para convidados, que podem ser reservadas para que os familiares e amigos do residente possam compartilhar uma refeição, lanche, jantar ou uma comemoração na residência mais intimamente. Nestas salas de jantar pode optar por provar as mesmas opções de menu da residência ou optar por um menu especial com pratos mais elaborados.

Relações intergeracionais

As relações intergeracionais favorecem o envelhecimento ativo e constituem um fator importante para a motivação e participação dos idosos na sociedade. Mas eles também são benéficos para as crianças, pois representam uma oportunidade para adquirirem novos conhecimentos, respeito e responsabilidade social, também favorece uma mudança de perceção em relação aos idosos que promove uma sociedade para todas as idades.

As relações intergeracionais favorecem o envelhecimento ativo e constituem um fator importante para a motivação e participação dos idosos na sociedade. Mas eles também são benéficos para as crianças, pois representam uma oportunidade para adquirirem novos conhecimentos, respeito e responsabilidade social, também favorece uma mudança de perceção em relação aos idosos que promove uma sociedade para todas as idades.

Na ORPEA, todos estão cientes dos benefícios dos relacionamentos intergeracionais e promovem-nos continuamente nos seus centros. Segundo o psicólogo da ORPEA, com as atividades organizadas nas residências, pretende-se restaurar sentimentos de vitalidade nos residentes e aumentar a sua autoestima. Mas eles também fazem com que se sintam úteis, lembrando a inocência e simplicidade das ações de uma criança e revivendo a ilusão de coisas ou situações que pertencem ao passado. “Desta forma, eles ativam a memória e a reminiscência no plano autobiográfico e emocional”, diz Adrián Sánchez.

Por outro lado, este tipo de atividades proporciona às crianças e adolescentes um passado no presente, experiência, conhecimento, anedotas, conselhos sinceros e muito amor. Mas acima de tudo, o contato com os idosos proporciona uma visão mais empática e aproximada do envelhecimento e da experiência da própria vida”, conclui este especialista.