Grupo ORPEA alerta para a importância da saúde mental   depois do confinamento

O impacto da pandemia provocada pelo COVID-19 na saúde mental da população sénior é indiscutível. O isolamento inicial, as limitações nas visitas familiares ou nas próprias saídas das residências, e a impossibilidade da continuidade de hábitos saudáveis  direcionados para o envelhecimento ativo prejudica o equilíbrio psicológico e emocional. Com o início da terceira fase do plano de desconfinamento o Grupo ORPEA alerta para a importância de se cuidar da saúde mental e psicológica dos mais velhos.

Para o Grupo ORPEA, esta preocupação é uma prioridade, o atendimento nas residências é holístico, portanto os aspetos mentais e emocionais desempenham um papel tão importante quanto o físico. Só assim é possível garantir uma atenção integral à saúde e garantir um maior bem-estar para todos os residentes.

No contexto atual, é necessário dar mais atenção à saúde psicológica pois, como reconhecem os especialistas, com o período de pandemia, aumentam os casos de insónia, angústia e ansiedade. Portanto, os profissionais do Grupo ORPEA estão muito atentos aos possíveis sintomas que possam surgir, para evitar o aparecimento de depressões e prevenir complicações cognitivas e funcionais. Para além disso, os cuidados psicológicos e mentais são reforçados para dar um atendimento precoce e adequado aqueles que podem precisar de apoio.

Mas, no dia a dia, o mais importante é trabalhar as emoções positivas através de exercícios físicos, atividades recreativas e terapias e até mesmo através da alimentação.

Medidas para reforçar a saúde psicológica:
A saúde psicológica influencia a qualidade de vida dos mais velhos, é isso mesmo que esta pandemia está a revelar. Portanto, para combater o desânimo, as residências ORPEA promovem atividades e terapias que reforçam o bem-estar mental e emocional dos residentes.

  • Exercício físico. Praticar exercício físico de forma regular traz benefícios físicos e mentais, pois promove a liberação de endorfinas, também conhecidas como as hormonas da felicidade. Estas substâncias químicas que o cérebro gera quando estamos constantemente ativos fisicamente ajudam a regular os níveis de stress e ansiedade. Portanto, incluir atividades físicas na rotina das pessoas melhora o seu humor. Na ORPEA existe um compromisso com a atividade física, com programas de exercícios direcionados e adaptados às necessidades dos residentes, nos quais são trabalhadas a força, a propriocepção, a estabilidade, o equilíbrio, etc.
  • Fisioterapia e terapia ocupacional. Estas terapias promovem o trabalho físico e cognitivo e melhoram a autonomia nas atividades da vida quotidiana (subir escadas, abotoar a camisa, pentear o cabelo, lavar-se sem ajuda…). Movimentos e exercícios orientados aumentam a habilidade e destreza, o que resulta em melhorias físicas, mas também na autoestima. Eles sentem-se menos dependentes e melhores consigo mesmos.
  • Atividades recreativas e lúdicas. Estas atividades visam descontrair e divertir-se, mas também são outra forma de terapia, pois potencializam a socialização e a integração no grupo, evitando o isolamento e a sensação de solidão indesejada.
  • Dieta saudável e equilibrada. A alimentação também é um fator muito importante na regulação do humor, uma vez que a qualidade nutricional dos alimentos contribui positivamente para a saúde mental. Vitaminas como B, C e E, ácidos gordos como ómega 3 ou minerais como zinco ou ferro são essenciais para a saúde. Por isso, na ORPEA os cardápios são elaborados por médicos e nutricionistas, que conhecem as necessidades nutricionais dos residentes, e são preparados e adaptados por cozinheiros experientes.
  • Visitas de familiares e, na sua ausência, videochamadas ou videoconferências. Os laços afetivos com os membros da família são essenciais para o bem-estar emocional e psicológico dos seniores. E, caso não seja possível, a realização de visitas presenciais, devem ser disponibilizadas outras opções tecnológicas que lhes permitam ver e comunicar com os seus entes queridos.


Todas estas atividades e alternativas terapêuticas ajudam a saúde mental e psicológica de que quem reside nas residências do Grupo ORPEA, sendo que o acompanhamento psicológico profissional está sempre presente como forma de prevenção.