Todas as residências Orpea obtiveram o certificado Aenor Portugal pelos seus protocolos perante o covid-19

Todas as residências do Grupo ORPEA em Portugal obtiveram o “Certificado de protocolos de atuação contra o COVID-19” pela AENOR Portugal. Este selo valida os procedimentos e planos de contingência, que são garantia de segurança tanto dos residentes como dos trabalhadores de cada residência. A equipa de qualidade da ORPEA Ibérica garante diariamente o estrito e exigente cumprimento de todos os protocolos desenvolvidos para fazer face à contenção e propagação do vírus, o selo é o reconhecimento deste trabalho de segurança que está a ser realizado desde o início da pandemia.

Este processo de auditoria externa, efetuado em todos os centros da ORPEA Ibérica, responde ao compromisso firme e manifesto do Grupo na proteção e cuidado da saúde e bem-estar dos seniores e dos profissionais que os cuidam. Os excelentes resultados obtidos são consequência da aplicação exemplar das medidas de segurança e proteção desde o início da pandemia, bem como do admirável trabalho e envolvimento dos profissionais para a ótima implementação e o cumprimento rigoroso dos procedimentos preventivos. Graças a tudo isto, a ORPEA tornou-se numa empresa de referência no setor, na luta contra o COVID-19 em Portugal.

Todos os aspetos certificados reforçam o desenvolvimento de todas as atividades de forma segura para os profissionais e para os seniores residentes nos centros ORPEA. Os protocolos implementados nas residências, certificados pela AENOR Portugal, respeitam os critérios e recomendações das autoridades sanitárias competentes e permitem que os cuidados prestados sejam seguros e de qualidade.

Antes de ser declarado o primeiro estado de Emergência, o Grupo constituiu um Comité de Crise, composto por diferentes áreas da empresa, que tem feito uma análise diária dos riscos e procurado soluções para as diferentes situações surgidas.

CRP e outros testes de diagnóstico

O Grupo ORPEA já realizou mais de 1.500 testes PCR (testes de diagnóstico do vírus SARS-CoV-2, que provoca a doença conhecida como COVID-19) e testes serológicos quantitativos (teste que permite a determinação quantitativa de anticorpos para o novo coronavírus) em trabalhadores e funcionários, o que foi fundamental para estabelecer um mapa sorológico de cada centro. Além disso, possibilitou a implantação de procedimentos baseados em unidades setorizadas e grupos “bolha” onde a convivência dos residentes era segura, a que se somaram outras medidas como a realização de exames aos trabalhadores antes da integração após os períodos de férias, o uso continuado de EPI e formação permanente sobre o seu correto uso, ou as devidas medidas de higiene e distância pessoal. Desta forma, todas as necessidades dos residentes foram atendidas de forma personalizada e segura, e a sua qualidade de vida foi garantida.

 

Melhorar a segurança e a qualidade do atendimento

O Grupo ORPEA tem também um plano semanal de higiene e desinfeção com produtos desinfetantes virucidas. Uma desinfeção de choque também é feita quando um novo residente integra um dos centros ORPEA. Bem como uma desinfeção massiva, se necessário, garantindo que as instalações continuem livres de COVID.

Além dos protocolos de higiene e desinfeção, uma importante medida promovida pela ORPEA, para maior segurança e um atendimento mais humanizado, tem sido o reforço do quadro de profissionais de todos os centros.

Na mesma linha, a ORPEA dedica-se constantemente à formação dos profissionais. Foi criado um plano de contingência único, de formação contínua, para cobrir a necessidade de agir de forma imediata e eficaz perante os desafios que a situação atual representa. É ainda obtido um certificado que atesta que o formando conheceu todos os aspetos, medidas organizacionais, técnicas e higiénicas, bem como a utilização adequada do EPI para garantir a proteção no ambiente de trabalho.

 

Grau de satisfação das famílias

Na ORPEA, trabalhou-se intensamente nos procedimentos e planos de contingência que garantem a segurança dos seniores e dos profissionais que vivem e trabalham nos seus centros, protocolos que foram certificados pela AENOR Portugal, e tem também existido especial atenção na relação com a família de cada residente, garantindo que estes estejam informados permanentemente sobre a situação dos seus familiares. Foi realizado um inquérito internacional de satisfação como medida para conhecer a opinião dos familiares sobre a informação e comunicação que os centros realizaram, durante a primeira onda da pandemia. Entre outros assuntos, estes inquéritos abordaram a qualidade, transparência, frequência e meios utilizados para esta comunicação.

Os resultados da pesquisa revelam um elevado grau de satisfação em todos os aspetos avaliados. De facto, mais de 80% dos inquiridos asseguram que as medidas tomadas e as informações comunicadas foram claras e proporcionaram tranquilidade e segurança aos familiares face à situação dos seus residentes em cada centro.

O Grupo ORPEA considera que os resultados do inquérito são ótimos, mas continuam a trabalhar tendo a excelência no atendimento aos residentes e familiares como premissa diária a par com a transparência da informação que consideram um elemento fundamental para conseguir a confiança das famílias.